Após repasses, Martagão busca ser pioneiro em transplantes de medulas em crianças na Bahia

17/11/2016

 Foto: Divulgação / Hospital Martagão Gesteira

 

Após ter conseguido 6 milhões anuais sendo 500 mil mensais em repasses do Governo Federal através de articulações do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) do deputado federal, Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) e o ministro da Saúde, Ricardo Barros na ultima sexta-feira (11), o Hospital da Criança Martagão Gesteira deu entrada na documentação para iniciar a realização dos serviços de transplante de medula e de transplante de órgãos no início de 2018.

 

De acordo com Antônio Novaes Júnior, Superintendente da Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, mantenedora do Martagão, os repasses realizados pelo Governo Federal, pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) nos últimos meses “possibilitam um maior investimento em qualidade de assistência e na ampliação de serviços”.

 

Novaes ressaltou que a realização de transplantes de medula é um sonho do Martagão e que, caso seja concretizado, o hospital seria o primeiro da Bahia a realizar tal procedimento em crianças. “As crianças atualmente tem que ir para São Paulo para fazer os transplantes”, explicou.

 

De acordo com o superintendente, o Martagão já deu entrada na habilitação do serviço no Ministério da Saúde, que corresponde à primeira fase da implantação do serviço, com comprovação de capacidade técnica e formação de equipe.

 

Após isso, a construção de enfermarias específicas e a verificação de exigências como controle de pressão específico, de controle de infecção, adaptação das UTIs, entre outros procedimentos que devem ser realizados na segunda etapa. Só aí a terceira etapa, de comunicação com os parceiros e secretarias, é realizada.

 

Superintendente Antônio Novaes Junior | Foto: Divulgação

 

 

Os R$ 6 milhões repassados pelo governo federal irão possibilitar que o hospital feche as contas mensais no azul, excluindo o déficit de R$ 500 mil, de acordo com o superintendente.

 

Tal fato irá possibilitar que o hospital invista em outras áreas e consiga rever a dívida de R$ 25 milhões que possui com credores, que contraiu após pedir empréstimos para custear o déficit.

 

Segundo Novaes o dinheiro será repassado para a SMS e só depois destinado para o Martagão Gesteira e que a Secretaria ainda não comunicou o hospital de quando será realizado o repasse.

 

O superintendente afirmou que espera que seja realizado ainda neste ano. “A gente não pode fazer nada antes que a SMS nos chame para que o reajuste seja feita no nosso contrato. Com a garantia nós podemos chamar os médicos, os fornecedores e fazer uma negociação”, explicou.

 

Fonte: Bahia Notícias

Compartilhar Facebook
Compartilhar Twitter
Please reload

Publicidade

1/3
Posts Em Destaque

Em meio a pandemia, UPA de Macaúbas é tratada com descaso pela prefeitura

April 20, 2020

1/10
Please reload

Categorias
Curta
  • Facebook Basic Square
Arquivo
Please reload

  © 2016 Virtual Trend Comunicação - Todos os Direitos Reservados